pixecode

Venda de imóveis sobe 19,7% na Grande JP

corretores-636x310Enquanto a economia do país cresceu em ritmo lento, a construção civil encerrou 2013 com forte aquecimento. Dados do Sindicato da Indústria da Construção Civil de João Pessoa (Sinduscon-JP) mostram que, no ano passado, o setor teve alta de 19,7%, com faturamento de R$ 1,892 bilhão, contra R$ 1,586 bilhão de 2012. No total foram 6.023 apartamentos vendidos, volume 7,97% maior que no ano anterior, quando foram comercializados 5.578 produtos. Na passagem de 2011 para 2012, o setor havia crescido só 3,59%.

Na avaliação do responsável pela consolidação dos dados, o tecnólogo em negócios imobiliários Fábio Henriques, o contrastante cenário entre faturamento e volume de vendas é explicado pela valorização dos imóveis. “Esse resultado vem puxado por alguns fatores. Tivemos aumento de preço no mercado, porque a tipologia mudou. Tivemos no Altiplano, por exemplo, empreendimentos de grande valor agregado, com preço entre R$ 1 milhão e R$ 1,5 milhão”, disse.

Já para o vice-presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção, Irenaldo Quintans, vários fatores contribuem para esta realidade do mercado na capital. “Além da demanda ser alta, ou seja, das pessoas continuarem precisando de imóveis, temos maior crédito imobiliário. Grande parte dos imóveis de João Pessoa são comercializados por intermédio do financiamento bancário, através dos bancos capitaneados pela Caixa Econômica Federal. Isso permite que mais pessoas tenham acesso aos imóveis e aumente o faturamento”.

Irenaldo explicou ainda que a oferta da cidade não ultrapassa a demanda, logo não sobram produtos no mercado. “Em João Pessoa, o construtor não faz imóvel para ficar em estoque. Eles são logo comercializados, por conta dessa demanda ainda forte. Isso movimenta o setor e faz com que o mercado continue aquecido”, disse.

Outro fator preponderante para o sucesso do setor é que o consumidor paraibano já enxerga segurança em investir em imóveis. “Ele percebe que o imóvel continua sendo o melhor investimento para quem gosta de aplicações mais conservadoras. A rentabilidade é alta. Em cinco anos, depois de comprado, aquele imóvel tende a ser valorizado, ainda mais quando se compra na planta”, disse.

Na opinião do tecnólogo em negócios imobiliários, Fábio Henriques, a eferverscência do setor em João Pessoa também é explicada pela realidade econômica regional. “Vamos ter forte demanda nos próximos meses, como a chegada da fábrica da Fiat e de empreendimentos que vão atender à cadeia produtiva dela. Esperamos que seja criada, na nossa região, uma espécie de ABC Paulista, uma área com forte desenvolvimento da indústria. Isso vai demandar ainda mais o setor da construção civil”, prevê.

 

Fonte: Jornal da Paraíba